segunda-feira, 8 de março de 2010

MULHER...

Eugène Delacroix. A liberdade Guiando o Povo



A todas as mulheres que lutam para conquistar um espaço neste mundo, meus parabéns. Ser mulher é antes de tudo um desafio, uma constante superação. Para estarmos hoje onde chegamos foi preciso quebrar muitas barreiras sociais impostas por uma sociedade que desacreditava na capacidade feminina para o trabalho e principalmente para o trabalho intelectual. Ao longo da história muitas pensadoras foram renegadas ao esquecimento, não sendo sequer estudadas nas universidades e ainda hoje é assim, os espaços de destaque ainda na grande maioria são para os homens. Esquecendo as denominações de movimentos feministas ou machistas, o que a mulher deseja é a igualdade social, igualdade de oportunidades, de ser vista como uma pessoa capaz e muitas vezes até de desempenhar melhor certas funções que muitos homens. O que está em jogo é simplesmente a capacidade, a compentência, a determinação do fazer e do construir. Todos somos humanos, nossa Constituição Federal prevê em seu artigo 5º que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza. Na mesma linha de direitos há igual previsão na Declaração Universal dos Direitos Humanos, portanto, a luta feminina pela conquista de espaço é justa e legal. Com a inserção da mulher no mercado de trabalho todos saem ganhando, a humanidade ganha, pois evolui, pois essas mulheres quando forem mães poderão educar melhor seus filhos e assim por diante. O desafio feminino consiste então em além de adentrar no mercado de trabalho, ter tempo para si, para não deixar de lado sua feminilidade, para conseguir compatibilizar o trabalho com a família e educação dos filhos e manter um relacionamento saudável.
Nós nunca devemos esquecer as mulheres ao longo da história que contribuiram e abriram o caminho para que as mulheres de hoje possam galgar caminhos que dantes não podiam sequer sonhar. O dia de hoje foi uma conquista às custas de muitas vidas de mulheres trabalhadoras que no dia 8 de março de 1857 reivindicavam melhores condições de trabalho numa fábrica de tecido norte americana, fizeram greve e como repressão foram trancadas na fábrica e depois incendiadas. Um ato desumano, cruel e vergonhoso, foi então que como forma de homenagear a luta dessas mulheres e para que a humanidade nunca esqueça desse dia que então em 1975 a ONU através de decreto oficializou o dia 8 de março como o dia internacional da mulher.

Escolhi este vídeo que mostra algumas dessas grandes mulheres, claro que há muito mais mulheres dignas de serem lembradas hoje, tanto na literatura, no cinema, na moda e nas artes, mas escolhi por trazer até vocês algumas mulheres que foram grandes pensadoras e desafiadoras de seu tempo.


Ei-las:








Selecionei também um soneto de Florbela Espanca




A Mulher

Ó Mulher! Como és fraca e como és forte!
Como sabes ser doce e desgraçada!
Como sabes fingir quando em teu peito
A tua alma se estorce amargurada!

Quantas morrem saudosa duma imagem.
Adorada que amaram doidamente!
Quantas e quantas almas endoidecem
Enquanto a boca rir alegremente!

Quanta paixão e amor às vezes têm
Sem nunca o confessarem a ninguém
Doce alma de dor e sofrimento!

Paixão que faria a felicidade.
Dum rei; amor de sonho e de saudade,
Que se esvai e que foge num lamento!


PARABÉNS MULHERES!

2 comentários:

Hefestos disse...

Plebiscito também é uma forma de participação direta. No Brasil nós já tivemos salvo engano aquela que o povo escolhia entre monarquia e república, presidencialismo ou parlamentarismo. Eu não sou muito a favor, pois o brasileiro, na sua maioria, não tem educação e não tem capacidade para escolher, infelizmente. Imagine um plebiscito sobre a pena de morte: teria 90% de aprovação e quem trabalha com direito sabe que a pena de morte não diminui a criminalidade.
Sobre essa lei de iniciativa popular, há uma que está parada no congresso, aquela que obriga a pessoa a ter ficha limpa ao se candidatar a algum cargo público. O problema é que não basta você assinar uma iniciativa dessas, é preciso ver se os deputados irão dar prosseguimento a essa lei de iniciativa popular.
Teve outra lei de iniciativa popular (eu acredito) que foi patrocinada por aquela Glória Perez, que teve uma filha assassinada (essa lei transformou o homicídio qualificado em crime hediondo). Não tenho certeza mas acho que é isso

Ronaldo disse...

Oi Mara, gostei demais do blog, conteúdo interessante e um visual bem bacana, parabéns. Ronaldo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails